Perguntas frequentes

Isso ocorre pois os colírios dilatadores da pupila representam um arsenal não só para facilitar o diagnóstico mas também para tratamento de certas desordens oculares, como as iridociclites. A indicação para dilatar seus olhos costuma acontecer para realizar fundoscopia/mapeamento de retina, cicloplegia para avaliar os distúrbios refrativos em pessoas menores de 40 anos e também para avaliar as estruturas intra-oculares e analisar o grau da catarata.

Os principais colírios com propriedade midriático-cicloplégicos do mercado são:

1. Tropicamida 1% (Mydriacil colírio): apresenta pico de efeito em 15 minutos e duração do efeito de 4-6 horas

2. Ciclopentolato 1% (Cicloplégico colírio): apresenta pico de efeito em 20-45 minutos e duração do efeito de 24 horas

3. Atropina 0,5% (Atropina colírio): apresenta pico de efeito em 2 horas e duração do efeito de até 15 dias

Cada colírio tem suas especificações e efeitos colaterais. Pergunte ao seu oftalmologista.

Os pontinhos que ficam flutuando na frente da visão são chamados de “moscas volantes”. Normalmente eles se movem de acordo com o movimento dos olhos, deslocando-se para onde você dirigir olhar, gerando incômodo.

A causa das moscas volantes costuma ser a liquefação do vítreo, principalmente pelo processo de envelhecimento e diminuição de água do organismo. Com o passar dos anos, o humor vítreo (“gelatina do olho”) vai se tornando liquefeito, fazendo com que as suas fibras se colabem, formando pequenos grumos (proteínas ou pequenas partículas de vítreo que ficam condensadas) ou filamentos dentro do olho. Os grumos também costumam aparecer mais em altos míopes, pessoas com diabetes, após cirurgia de catarata e/ou traumas oculares

DAs moscas volantes passam a preocupar quando aumentam de modo significante em um pequeno intervalo de tempo e também quando há sensação de flashes luminosos, que podem sugerir rasgos na retina.

Como o surgimento das moscas volantes é decorrente basicamente de um processo natural de envelhecimento , não há tratamento específico para esta condição. A clínica CEO, no entanto, disponibiliza algumas dicas: mantenha sempre hidratado (há relatos que beber água de coco, rico em ácido hialurônico, reduza a formação de grumos no humor vítreo),  leve hábitos saudáveis com alimentação balanceada, prática regular de atividade física; consulte frequentemente seu médico e passe por uma consulta anual com seu oftalmologista.

Para excluir qualquer condição mais grave, é imprescindível uma consulta com seu médico oftalmologista. No entanto, o sangramento ocular espontâneo, por ter uma aparência por vezes dramática,  deve ser suspeitado de hemorragia sub-conjuntival, ou hiposfagma. O primeiro passo é entender que este sangramento ocorre ente a conjuntiva e a esclera, localizando, portanto na superfície ocular e não dentro do olho, o que repercute na preservação da acuidade visual. Formas de manobra de Valsalva podem ocasionar seu aparecimento (por exemplo: tosse, vômito e constipação intestinal). O hiposfagma não exige tratamento específico na maioria das vezes, pois o sangue contido no espaço subconjuntival acaba sendo reabsorvido gradualmente ao longo dos dias.

Não. Os lubirificantes oculares apresentam diferenças na composição do lubrificante e também no conservante. Os principais agentes lubrificantes são: carboximetilcelulose, hipromelose, hialuronato de sódio, povidona, carbômero, hidroxipropil-guar, pomadas oleosas e óleo de rícino, cada um com suas especificações e indicações. Já os conservantes, podemos encontrar: colírios lubrificantes sem conservantes, cloreto de benzalcônio, poliquaterno-1, complexo oxicloro estabilizado, etc. Devemos lembrar que os conservantes possuem alta toxicidade para a superfície ocular em uso crônico, que pode agravar a inflamação e a doença. A finalidade dos conservantes é para evitar contaminação na embalagem, que podem levar a infecções oculares graves. Quando aplicados com moderação, não costumam repercutir em lesões oculares. Converse com seu oftalmologista.

O nosso organismo possui um sistema complexo e inteligente para se manter lubrificado. A secura dos olhos acontece quando há alterações na composição ou produção das lágrimas que prejudicam na correta lubrificação ocular. Devemos lembrar que das 100 medicações mais vendidas no mundo, 31 causam olho seco (Anti-Inflamatório Não Hormonal, Diuréticos, Vasodilatadores, analgésicos, protetores gástricos e que 61% dos idosos tomam medicações que causam olho seco. O tratamento vai de acordo com a severidade do quadro. No entanto, a Clínca CEO-Bauru dá as seguintes recomendações: uso de medicamentos apenas se necessário e com prescrição médica, reduz o estresse com técnicas de relaxamento, reserve para você uma hora por dia (corresponde a cerca de 4% do dia) para realizar atividades físicas e outras atividades relaxantes; aplique calor com pano umedecido em seus olhos, faça higiene palpebral com compressas mornas e uso de colírio lubrificantes apenas com receita médica. E o mais importante: lembre-se de piscar com frequência.

Recentemente foi descrita uma condição chamada Síndrome da visão do computador (CVS), uma condição temporária resultante do foco dos olhos num monitor de vídeo por períodos prolongados e ininterruptos. Os principais sintomas são: dor de cabeça, visão embaçada, dores no pescoço, torcicolo, fadiga, olho seco e dificuldade em refocar os olhos, ver halos em volta das luzes. Há um fator que compromete ainda mais a saúde ocular como o excesso de luz, ar condicionado e ventilador direcionado ao rosto. Durante o tempo que estamos concentrado em frente à tela, piscamos 6 a 8 vezes por minuto, enquanto o normal e ideal é realizar 16-20 vezes por minuto. Outro fator que também merece ser levado em consideração é o esforço de focalizar em excesso por um período prolongado exige muito dos músculos intraoculares, o que induz a astenopia (enxergar com desconforto/fadiga ocular) e leva a uma sensação de cansaço dos olhos.

Como tratamento, podemos citar o uso de soluções de lágrimas artificiais; a regra “20-20-20” (a cada vinte minutos, focar os olhos em um objeto a 20 pés (6 metros) de distância durante 20 segundos.

Muito cuidado com os mitos que surgem. Não procede a informação na qual a miopia se agrava na falta de óculos ou lentes de contato, do mesmo modo em que o uso constante também não vai fazer seu grau diminuir. Devemos lembrar que seus óculos não são um remédio capaz de zerar o grau (leia sobre cirurgia refrativa). Os óculos funcionam apenas para corrigir um defeito visual herdado geneticamente ou que se desenvolveu ao longo da vida. O que se estuda atualmente é a relação entre o tempo exagerado que se passa diante da TV ou do computador e o agravamento da miopia, pois tem-se constatado por estudos epidemiológicos que há mais jovens míopes nas cidades do que na zona rural.

Consulte com seu oftalmologista regularmente para ajustar o grau dos óculos e garantir uma boa saúde ocular

Episódios de contrações involuntárias de pequenas fibras musculares em região palpebral são denominados de Mioquimia. Esses tremores palpebrais discretos, percebidas pelo paciente e difíceis de serem observadas costumam ser benigno e desaparece sem complicações.

Há uma asssociação importante das contrações involuntárias com o estresse mental, privação do sono, ansiedade e uso excessivo de bebidas com cafeína. 

Há uma condição denominada de blefaroespasmo que também se manifesta com contrações involuntárias, no entanto, o blefaroespasmo acomete maior número de fibras musculares, fazendo com que o paciente pisque mais vezes e interfira no seu dia-a-dia. A consequência desses espasmos podem impossibilitar o paciente a dirigir e trabalhar. Nestes casos, a aplicação de toxina botulínica está indicado e deve-se investigar síndromes neurológicas.

Fosfeno nada mais é que aquela sensação de quando vemos luzes e estrelas quando esfregamos os olhos. Isso acontece porque a pressão nos olhos acaba ativando as células ganglionares da retina de uma maneira muito semelhante com o que acontece quando elas respondem à luz. Os fosfenos são mais comuns quando fechamos as pálpebras com muita força ou quando esfregamos os olhos. Quando maior a pressão nos olhos, mais manchas luminosas você irá enxergar. O fosfeno não é uma doença, mas sim um sintoma visual. Como a causa do fenômeno pode ter diferentes origens, é importante consultar um especialista para se certificar de que não há nenhuma patologia mais grave. É preciso ficar atento, pois na pior das hipóteses, este fenômeno luminoso pode estar ligado a problemas como a tração vítreo-retiniana, rotura retiniana, degeneração ou descolamento de retina.

Para que a imagem seja devidamente interpretada no cérebro, é necessário que os raios de luz sejam focalizados na retina. 

Na miopia, objetos distantes, que emitem raios paralelos, são focalizados à frente do plano da retina, fazendo a imagem perdem a sua nitidez. O eixo longitudinal do globo ocular costuma ser grande em relação ao poder refrativo do sistema de lentes do olho. O principal sintoma da miopia é a dificuldade para a visão de longe, sendo os objetos enxergados sem nitidez.

Na hipermetropia, objetos distantes que emitem raios paralelos, são focalizados atrás do plano retiniano, quando não há auxílio da acomodação. Portanto a imagem perde a sua nitidez. Ao contrário da miopia, o eixo longitudinal do globo ocular é pequeno em relação ao poder refrativo do sistema de lentes do olho.

O astigmatismo, em geral, é um defeito da córnea, que não tem um formato esférico, mas sim elíptica. A córnea normal é uma lente esférica, possuindo a mesma curvatura em todo os seus eixos. A córnea do astigmatismo possui curvaturas diferentes em pelo menos dois meridianos, geralmente diametralmente opostos. Assim quando os raios luminosos incidem sobre a córnea astigmata, são convergidos em pelo menos dois focos diferentes no globo ocular.  O distúrbio visual clássico do astigmatismo é o borramento heterogêneo da imagem, ou seja, algumas partes da imagem estão mais nítidas ou mais borradas do que outras.

A partir dos 40 anos de idade, há um processo gradual de falha do mecanismo de acomodação do cristalino, progredindo até os 60 anos. Este fenômeno é denominado de presbiopia, definida quando o indivíduo começa a ter dificuldade com a visão de perto (como o ato de ler um jornal ou revista), que se torna borrada. Para correção da presbiopia, é feita a prescrição de lentes positivas (convergentes) que garantem uma amplitude de acomodação suficiente para permitir a nitidez da leitura ou quaisquer atividades que necessitem a visão de perto.

O hábito aparentemente inofensivo de coçar os olhos com frequência traz riscos para a saúde ocular. Listaremos os principais riscos de se coçar os olhos:

1- Ceratocone – ao pressionar os olhos com as mãos, a córnea pode sofrer deformação de sua estrutura. Com a permanência do hábito, a deformação pode se tornar permanente e colaborar no desenvolvimento mais rápido da doença

2- Infecções oculares – sabe-se que a mão armazena uma flora rica de microorganismos dos mais variados tipos e de viurlência e patogenicidades distintos. O ato de colocar a mão nos olhos acaba transmitindo uma série de bactérias e vírus nocivos aos olhos, ocasionando por exemplo conjuntivites, hordéolos (terçol), entre outros

3- Descolamento de retina – dependendo da intensidade do ato de coçar os olhos, há risco de lesionar as estruturas mais internas do olho, pocomo o descolamento de retina.

Converse com seu oftalmologista para evitar que esses quadros se instalem.