Cirurgia refrativa

A cirurgia refrativa compreende os procedimentos cirúrgicos que têm o objetivo de diminuir e, se possível, eliminar os erros de refração ( miopia, hipermetropia e astigmatismo ).

Há registros, no século XIX, de incisões corneanas com finalidade de correção refrativa. Em 1894, Bates , publicou nos Estados Unidos, seus resultados de incisões corneanas e em 1987, Lans , na Holanda, apresentou uma tese sobre o tratamento de astigmatismo por meio de incisões corneana.

Na década de 1970, Fyodorov, na Rússia, desenvolveu a técnica de ceratotomia radial anterior, que se firmou como primeira técnica de cirurgia refrativa de aceitação universal. No final da década de 1980, com o sugimento do excimer laser, a ceratotomia radial foi perdendo espaço, pois se tratava de uma tecnologia que consistia em remover o tecido corneano a uma precisão micrométrica, com mínima lesão adjacente e que  permitia a modificação da curvatura anterior da córnea e dessa forma corrigir o erro refracional.

Atualmente, a principal modalidade de cirurgia refrativa é a corneana, por meio do excimer laser seja o PRK ou o LASIK. Outra importante modalidade de cirurgia refrativa que merece destaque são os implantes de lentes intraoculares

O PRK consiste na remoção mecânica da camada epitelial corneana, incluindo a membrana basal, seguida de fotoablação da camada d Bowman e estroma anterior.

A técnica de LASIK consiste no uso de um microcerátomo ou o laser de FEMTOSECOND para a confecção de uma lamela pediculada constituída palo epitélio, camada de Bowman e parte do estroma anterior, seguido pela fotoablação com o excimer laser.

A cirurgia de implante de lente intraocular com a finalidade de corrigir os erros refracionais, com a substituição do cristalino por uma lente, é similar a cirurgia de catarata, sendo uma alternativa para aqueles casos em que não é possível fazer uma cirurgia refrativa com o excimer laser

Visite seu médico oftalmologista para uma melhor avaliação e tratamento.