Ceratocone

Ceratocone é uma doença que altera o formato, espessura e curvatura da córnea, de origem desconhecida, provavelmente com herança genética. Geralmente afeta ambos os olhos de pessoas entre 10 e 30 anos. A córnea, que é a parte mais anterior e transparente do olho, fica mais fina e com o formato de um cone.

A evolução do ceratocone é quase sempre progressiva e pode causar embaçamento visual e piora da sensibilidade à luz e glare, devido principalmente ao aumento do astigmatismo irregular e miopia. O ceratocone tem associação frequente com alergia e o prurido ocular pode ser um fator de risco importante para desencadear a doença.

O diagnostico definitivo desta patologia é feito com base nas características clínicas do exame oftalmológico e com ajuda de exames complementares, como a tomografia e topografia da cornea.

Tratamento

Em casos iniciais de ceratocone, a visão pode ser melhorada com a prescrição de óculos. A partir do momento em que os óculos não conseguem fornecer uma acuidade visual satisfatória, a lente de contato rígida é a próxima alternativa, porém estas podem ser desconfortáveis e causar infecções.

O implante de anel intra-estromal é uma nova técnica oferecida pela clínica CEO que melhora a visão e retarda o transplante de córnea. É utilizada para regularização da curvatura da cornea. É realizado um túnel e uma micro-incisão por onde o segmento do anel irá entrar e ficar estabilizado. Além desta novidade, apenas na clínica CEO o implante do anel poderá ser feito com a tecnologia mais avançada do mundo, o laser de Femtosecond, que permite a colocação do anel de maneira mais precisa, rápida e segura.

Outra nova modalidade terapêutica utilizada para tratamento do ceratocone é o Crosslinking corneano. O objetivo deste procedimento é aumentar a resistência da cornea, aumentando sua estabilidade e com isso minimizar ou parar a progressão do ceratocone, evitando a piora da visao do paciente. Consiste no uso da riboflavina (vitamina do complexo B), associadas aos raios ultravioleta, emitidos pelo aparelho de crosslinking. Após ser instilada em forma de colirios, o paciente fica deitado olhando para a luz.

Por fim, em casos avançados, em que o afinamento da cornea se torna excessivo ou a curvatura corneana fica muito aumentada, o transplante de cornea se faz necessário.